CONCEITOS HISTÓRICOS 

            CONCEITOS SUBSTANTIVOS: são os "conteúdos" ou "temáticas" históricas como Feudalismo; Revolução Francesa; Canudos; Grandes navegações...


             CONCEITOS DE SEGUNDA ORDEM ou  CONCEITOS ESTRUTURAIS ou CONCEITOS METAHISTÓRICOS: são os conceitos próprios do conhecimento histórico como: evidência; mudança e permanência; semelhança e diferença; multicausalidade; multiperspectiva; imaginação histórica; explicação histórica; narrativa

  O PROFESSOR IDEAL SE PREOCUPA COM OS CONCEITOS DE SEGUNDA ORDEM
  O PROFESSOR REAL, COSTUMA SE DETER NOS CONCEITOS SUBSTANTIVOS

COGNIÇÃO HISTÓRICA SITUADA
(Maria Auxiliadora Schmidt)


           Difere da psicologia, que elabora uma categorização do pensamento em estágios de desenvolvimento cognitivo, caracterizados por determinadas atividades mentais que o indivíduo consegue realizar no decorrer das diversas faixas etárias do seu processo de desenvolvimento biológico. 

           Tem como pressuposto a EPISTEMOLOGIA DA HISTÓRIA

            O aluno constrói a LITERACIA HISTÓRICA ao fazer USO DAS FONTES HISTÓRICAS e desenvolver os CONCEITOS SUBSTANTIVOS de forma interdependente com os CONCEITOS DE SEGUNDA ORDEM e não conforme seu ESTÁGIO COGNITIVO NATURAL/BIOLÓGICO

            O aluno aprende (constrói uma literacia histórica) confome o CONTEXTO HISTÓRICO em que está inserido, os SABERES PRÉVIOS que possui, os ESTÍMULOS SOCIOCULTURAIS que tem.

LITERACIA HISTÓRICA (PETER LEE)

          Literacia (letramento, alfabetização)

          É a construção do conhecimento histórico por meio de uma situação de aprendizagem

          Uma "lógica" própria do conhecimento histórico, é  "pensar historicamente".

           Uso de procedimentos próprios para formar o pensamento histórico
 

USO ESCOLAR DE FONTES
 
Os mesmos procedimentos do historiador, a mesma metodologia
Interpretar fontes
Porém, o uso escolar das fontes (ou evidências) requer:

      A MEDIAÇÃO DO PROFESSOR
      COMPARAÇÃO COM OUTRAS FONTES
      ENTENDER O CONTEXTO HISTÓRICO

                                                 

 

                                                              Ver tabela de problematização de fontes

TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA

          Perspectiva do matemático Ives Chevallard (1997)

          Processo de transformação do conhecimento acadêmico em conhecimento escolar (tornado possível de ser ensinado)

           Simplificação da ciência de referência

           O conceito de "transposição didática" implica em transmissão da ciência de referência, ou seja, prioriza os conceitos substantivos e se distancia dos conceitos de segunda ordem

          Contudo, a apropriação deste autor no Brasil é carregada de contradições. Uma leitura mais apurada se faz necessária. Principalmente através do conceito de NOOSFERA que ele utiliza. 

La transposición didáctica Del saber sabio al saber enseñado

Yves Chevallard

LEE, P. Nós fabricamos carros e eles tinham que andar a pé: compreensão das pessoas do passado. In: BARCA, I. (Org.). Educação histórica e museus. Braga: CIED, Universidade do Minho, 2003. p. 19-36.

PROGRESSÃO
 
         Ideia de que o aluno não "progride" obtendo mais conceitos substantivos, mas sim obtendo níveis de explicação histórica mais elaborados (conceitos de segunda ordem)

        Não diz respeito à progressão de níveis cognitivos baseadas na maturação psicossocial do indivíduo baseados, sobretudo, na faixa etária. Portanto, corresponde à cognição histórica situada